domingo, 19 de outubro de 2008

Cria as tuas circunstâncias

Muitas pessoas perguntam: “mas porque é que a vida te corre assim tão mal?”. “Ah, são as circunstâncias”. Anotem aí: “Não importa o que acontece, o que importa é o que é que vocês fazem a esse respeito.” Porque o que acontece, acontece a todos. Se vier uma desvalorização da moeda, isso afecta toda a gente. A mim a desvalorização também afectou mas o importante foi o que eu fiz depois. E o que é que eu fiz? Recuperei o meu milhão. Sabem como? Comprei, e, por causa das circunstâncias, comprei por pouco dinheiro, a crise passou, vendi, e recuperei o meu milhão.

Tudo isto para dizer o quê? Que o que fizeres amanhã depende da tua forma de pensar, do teu sistema de avaliação, da tua forma única de ver as coisas. Isso é o que te vai dizer o que vais fazer amanhã. As decisões que tomares não são baseadas nas circunstâncias! Onde estiveres daqui a cinco ou dez anos não vai depender das circunstâncias mas do que fizeres a esse respeito. Uma vez que tenhas entendido isso as tuas metas começam a mudar rapidamente e o teu destino começa a mudar à mesma velocidade e assim o teu futuro. Porque agora sabes que tens controlo sobre o que vais fazer. Quem está a ser guiado pelas circunstâncias, imagina, é como um barco que anda à deriva, certo? Vai daqui para acolá e depois volta para aqui. Como vai a economia... e o país. A chave é que tu não vás como vai o país porque o país vai mal e continua mal e tu tomaste uma direcção diferente. O país continua a empobrecer mas tu tomaste uma direcção diferente. Entendes? Então pergunta-te: “Que direcção irei eu tomar?” É que eu tomei a direcção de colocar mais anúncios, fazer mais reuniões, de treinar o meu grupo, servir a mais consumidores. Esta foi a direcção que eu tomei. Quanto mais duras as circunstâncias, mais eu trabalhava no meu negócio. Quanto mais difícil parecia, mais eu fazia, lia mais livros, ouvia mais audios, para não perder o caminho. E assim fui-me aproximando do meu objectivo, até conseguir. E eu consegui, mesmo durante a crise. É como aquele que está a subir uma montanha e vem um vento frio. O que é que ele faz? Fica ali parado ou continua? Continua, claro que continua! Passo a passo, passo a passo... passo a passo. É difícil? Sim. Mas ele continua sabendo que cada passo o aproxima mais e mais do topo. Sabendo isso ele não pára por nada no mundo, até que finalmente vença as circunstâncias, o frio e a dor. Como uma lancha que, tem de vencer muita resistência da água, mas chega a um ponto em que vai quase no ar, por cima da água. Agora a minha lancha vai a voar sobre a água. Eu tive de vencer as circunstâncias. Foi um super esforço? Sim. Mas é como se a tua própria vontade estivesse contra as circunstâncias. 

Quando descobres isto e o interiorizas o teu crescimento torna-se acelerado.


Rui Gabriel

_______________________________

www.omeunegocio.com/candidatura

Sem comentários: