segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Deus diz sempre que sim.

"Que seja o que Deus quiser", dizem alguns. Tomara que Deus queira... só que Deus quer sempre. Tu dizes: "Deus, eu vou-me matar." e o que diz ele? “Eu apoio-te!”... ou não.  “Eu decidi tornar-me rico.” O que diz Deus? “Eu apoio-te, filho!” . "Eu vou conseguir entrar na universidade. Apoias-me?”, “Eu apoio-te, filho”. “Eu vou gastar tudo e ficar na pobreza.” O que diz Deus? “Eu apoio-te filho!” Ele apoia-te em tudo. Até os criminosos dizem “ajuda-me meu Deus!” Deus diz sempre que sim.

Tens de ver o que andas a fazer com o teu tempo e com a tua vida, sem enganos. “Como estou? Já faço isto há um ano, ou mais, como estou? Sou quem que quero, cheguei onde quero? Estou a aproximar-me da minha meta ou estou cada vez mais longe?”, “Eu achava que estva caminhando para o norte, e afinal estou caminhando para o sul?” Tens de perceber a tua situação rapidamente. Se estás no autocarro errado tens de perceber isso rapidamente. E quando perceberes vais fazer o quê? Tens de dizer ao motorista: “Senhor motorista, pare porque eu estou no autocarro errado.” Mas isso requer sabes o quê? Coragem! Primeiro, obviamente, informação. Mas há pessoas que já têm a informação e dizem: “sim, é verdade, eu já sabia disso, o cigarro é mau”. Mas agora falta o quê? A coragem para deixar de fumar. “OK. Eu vou acabar com isso.” Há pessoas que dizem: “mas como é que eu vou deixar o meu emprego, se eu adoro a minha profissão?” Bom, isso requer coragem. “Como é que eu vou parar com os meus velhos hábitos?”

Deixem que vos diga: cada nível de vida é um mundo diferente. Com costumes diferentes, linguagem diferente, formas de vestir diferentes, hábitos diferentes. O filho de um industrial casa com uma empregada doméstica e parece uma mancha na casa dela: chama a atenção e não se sente à vontade. Se forem morar com os pais dele, ela é que parece uma mancha. Porquê? Qual a razão? Hábitos, costumes, educação, mentalidade... aí está a diferença. Eu tive de passar por esse processo. Tens de verificar os teus hábitos, costumes, mentalidade, valores, e corrigir o que tiver de ser corrigido, com o máximo de ética e lagalidade. Não podes ser rico parecendo pobre, nem ser pobre parecendo rico. Não podes ser um fracassado se tiveres sucesso, nem parecer bem sucedido se fores fracassado, simplesmente não é possível. Não encaixas aí. É como aquele que recebe um carro emprestado e um mês mais tarde o devolve todo destruído. Porquê? Pelos seus hábitos, os seus costumes, as suas características. Para ele não importa que bata, que risque. Para ele não importam os detalhes, não importa que esteja sujo. Para ele não importa! Para ele está tudo bem. Para o seu sistema de avaliação isso é até bom... um pouco de poeira, ou um pouquinho de rugas. Está bem, é assim, ele está acostumado com uma conta bancária azerada. Se um dia se encontrar com dinheiro até se assusta e diz: “o que aconteceu?” Não é assim? Ele é bom para negociar sem dinheiro. “como fazemos? Não posso pagar depois? Ou em prestações?” Porque é que não usa esse engenho a fazer mais dinheiro? Ele é bom para usar os cartões de crédito. Primeiro usa um, depois usa outro, e usa um para pagar o outro... e eu digo: “olha que inteligente que tu és! Porque é que não usas isso para ganhar dinheiro?” Até há cursos para ensinar a usar os cartões de crédito! Eu, por mim, rasguei-os a todos, e a partir dali, se podia comprar comprava e se não podia comprar não comprava. Ponto final. Isto chama-se “controlo dos desejos de comprar” e é uma das mais importantes habilidades que tens de desenvolver se quiseres ficar rico. Gastar o dinheiro que se tem é um hábito, e não importa quanto dinheiro tenhas, gastá-lo-ás sempre todo, a não ser que desenvolvas esta admirável capacidade. Tens de desenvolver uma mentalidade e uma filosofia bem clara no que diz respeito ao teu dinheiro.


Rui Gabriel

_______________________________

www.omeunegocio.com/candidatura 

Sem comentários: