sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Vais para onde?

Conta a história que um dia um barco enviou um pedido de socorro “socorro, socorro, estamos perdidos” e a torre de controlo respondeu: “dê-me a sua localização para vos poder orientar e ajudar a chegar ao porto.” Mas eles responderam: “Esse é o problema, nós não sabemos onde estamos” e a torre de controlo respondeu: “Então não vos podemos ajudar, porque se dermos instruções erradas poderemos guiá-los para mais longe em vez de vos aproximarmos de terra. Como iremos ajudá-los se não sabem onde estão?”

“Estás a ganhar ou estás a perder?” “Não sei, estou a jogar...”, “mas como é que vai o negócio?” “Não sei bem!”, não é impressionante que pessoas vivam assim? Tens de ver os números, se estão a aumentar ou a diminuir. Onde é que estás? Em que nível estás? É muito importante saber em que nível estás. E uma coisa muito importante em relação aos níveis é o seguinte: não saltes para o próximo nível antes de tempo. Isto é muito importante. É que há pessoas que ganham mil euros por mês, começam a viver como se ganhassem dois mil e quinhentos, e depois o que acontece? Todos os meses lhe faltam mil e quinhentos que elas vão tirar de onde? Do sogro, da sogra, do pai, da mãe, até do seu filhinho, do seu porquinho. Isso não é sábio! Nem sequer inteligente. O que é que seria inteligente? Se estás a ganhar dez tens de viver com cinco e assim sobram cinco. Cinco todos os meses, dentro em pouco até pareces rico. Não gastes os dez. Se ganhas dez gasta cinco. Isto é ser inteligente. 

Porque é que acham que eu não abri há mais tempo um escritório como o que tenho agora? Porque primeiro tinha de elevar os meus rendimentos muito acima, em vez de chegar ao fim do mês e dizer: “ai meu Deus! Chegou o fim do mês! E agora como vou pagar a renda, ou o empréstimo! Não tenho dinheiro!” Este stress comum não acontece comigo. Não. Tens de ser sábio. Colocas o teu esforço em aumentar os teus ganhos e depois verás como administrar. Esta é a chave. Não saltes para o nível seguinte antes do tempo. É melhor permanecer num nível em que o teu dinheiro sobra em vez de ires para um nível em que o dinheiro te falta. Não fiques sequer num nível em que chegas sem dinheiro ao fim do mês. Entendes? Trata-se de corrigir a tua filosofia. Há quem diga: os ricos são os que mais gastam. Isso não é verdade. Os ricos são os que mais guardam. Por isso são ricos. Os pobres são os que mais gastam. Eles gastam não só o que ganham, mas ainda pedem emprestado para continuar a gastar. E gastam até o que irão ganhar no futuro. Não é assim que acontece? Já têm comprometido o 13º mês, e as férias... e as bonificações, e os lucros anuais e quem sabe quantas coisas mais... seis meses antes! Isso não pode ser. Ganham a lotaria mas isso não interessa porque voltarão rapidamente a ficar pobres porque compram tudo o que lhes faltava. Não podes ganhar mil e querer viver num nível em que precises de dois mil. Observa a tua vida: pensa “como vai a minha vida! Ganho três e gasto três? Isto está errado, eu tenho de corrigir esta situação.” Não é assim? A aparência e o ego é que fazem isso contigo. “Já tenho algum sucesso, tenho de mostrar o dinheiro, tem de se perceber”. Não! É melhor seres criticado por ganhares muito e gastares pouco. Eu aprendi que o dinheiro não é para convidar os meus amigos para beber cerveja, não é para ficar bem com eles. Os ricos gastam o mínimo e guardam o máximo. Os pobres primeiro gastam e depois não têm dinheiro para guardar. Filosofias opostas. 

Eu também tinha estes problemas. Já estava a trabalhar como médico há quatro anos e tinha estes problemas. E sabem porque é que os quatro anos seguintes foram diferentes? Porque corrigi o meu sistema de avaliação, corrigia a minha filosofia, corrigi a minha mentalidade. Disse: “Ok. Toda a minha maneira de pensar e de agir está errada. Agora chega! Vou começar a fazer acertos.” Então rasguei os meus cartões de crédito. E nunca mais vivi de crédito. Tudo o que eu pudesse comprar iria ser a pronto e iria colocar o meu melhor esforço em aumentar os meus rendimentos ao máximo. Entendi o que tinha de fazer! Eu tinha de aproveitar todas as oportunidades e aproveitei o multinível da Herbalife. Tinha de ter mais distribuidores que iriam ser mais supervisores. Essa era a solução e deu-me o meu primeiro milhão em quatro anos e meio. Era tudo o que eu precisava fazer: Tornar-me um lider melhor, trabalhar com a minha equipa, ensiná-los realmente e depois mostrar os resultados. 

Todos vocês poderiam começar a corrigir a partir de hoje? Sim. E veriam resultados em três meses, em três anos, em cinco anos? Claro que sim! Ganhar o primeiro milhão? Sim!

O que é que tens de fazer? Tens de começar a corrigir já porque já demoraste tempo demais a cometer erros. Já demoraste tempo demais sem encaminhar a vida no rumo certo. Estás num caminho de terra batida cheia de pedras e das muitos tombos. Tens de voltar para a estrada alcatroada para ires mais rápido. É incrível ver que estás a chegar perto da tua meta. Outras pessoas, em vez de fazerem um plano... cruzam os dedos e esperam pelo melhor... tu não.


Rui Gabriel

_______________________________

www.omeunegocio.com/candidatura

Sem comentários: