terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Será para mim?

O meu segredo é que eu não deixo que me contagiem. Eu ouço, mas não me deixo contagiar. Eu também canto no karaoke, quem costuma ir a minha casa sabe. E também gosto de tequilla. Eu faço muitas coisas que não abonam em relação à minha perfeição, estou tão longe de ser perfeito. Eu digo-vos isto para que não se dispersem em ideias negativas. Isso aconteceu comigo: eu queria ser o homem perfeito para ganhar o meu milhão de euros. Não era, nunca fui e nunca o consegui ser, mas consegui o meu milhão mesmo assim. Como? Acrescentando todos os “botões” que foi preciso acrescentar e carregar neles todos os dias: isto é o sistema de trabalho.

A maioria das pessoas vão dar opiniões baseadas em conjecturas, nem sequer em experiências. É assim: “eu acho que isso não vai dar certo.” Lembrem-se que estas opiniões virão a tornar-se ordens e irão programar o vosso cérebro se prestarem atenção a isso e não provarem a vocês próprio que essa ideia negativa está errada. Ouviram falar em PLN? Programação Neuro Linguística?  Fala sobre isso. Sobre a limpeza geral a efectuar nas programações negativas que recebeste desde o dia do teu nascimento, e até antes. E essa programação diz que és tolo, que não podes fazer isto ou aquilo, que não és capaz, que não é para ti, que não mereces e tu acreditaste nisso tudo. Claro que acreditaste, foram as pessoas que mais credibilidade têm que to disseram ao longo de toda a tua vida! E diante de um desafio dizes “não sou capaz”, “eu não mereço ficar rico”, “isso é para os outros”, “ah mas... mas.... mas...” e passam-te as oportunidades ao lado sem que as aproveites e tornas realidade as mentiras que te colocaram na cabeça acerca do que és capaz e do que mereces. Não é interessante como a nossa vida se transforma naquilo que nós pensamos sobre nós próprios e isso depende em enorme parte das influencias que recebemos? Não há problema em ouvir ideias negativas de outras pessoas, o problema é que aos poucos acabam por transformar-se em ordens... se tu deixares. 

Estou a ler um livro chamado “A Mente Milionária” e aí está escrito que todos os milionários com mais de 10 milhões de dólares, em algum momento das suas vidas lhes disseram que eram atrasados e que nunca iriam ter sucesso. Tinham péssimas notas na escola e que, por isso, iriam fracassar. E eles escutavam tudo isto e, o que acham? Que acreditaram? Agora, sabem uma coisa? Comigo aconteceu o mesmo. O estímulo que eu recebi do meu pai toda a vida foi ouvir dizer que eu iria fracassar. Lembro-me de uma vez alguém ter dito ao meu pai que eu iria ter um curso de oratória e teria de praticar muito e meu pai respondeu “O quê? Ele? Oratória? Ele vai falar no palco?” “Sim, o seu filho!” e eu pensava: “Claro que eu posso!” qual era a minha outra opção? Acreditar que não iria conseguir? Isso para mim não era opção! O estímulo negativo do meu pai acabou por tornar-se positivo porque eu foquei-me em provar que ele estava errado. O problema só existe quando acabas por dizer “é verdade, eu não tenho jeito para isto”, “eu não posso”. Depende somente de ti o deixares-te influenciar por estas opiniões... ou não. As pessoas podem dizer o que quiserem, estamos num país livre, mas o efeito que as palavras têm sobre ti, somente tu é que decides. 

Porquê não ter um milhão de euros? Porque é que não hás-de conduzir o Porsche? Ou o Ferrari? Porque não tu? Porque é que não vou de férias para os melhores hotéis? Porquê não tu? Porque não? Porque é que não hás-de ter a melhor roupa ou comer nos melhores restaurantes? Esta é a diferença entre as pessoas que têm tudo isto e as que não têm. Estas dizem “ah, isso não é para mim... porque... porque...” e os que o conseguem dizem “porque não? Porque é que não há-de ser para mim?” Os primeiros dizem: “vamos comer um almocinho de um euro e meio porque o restaurante XPTO não é para mim” e acreditem nisto: “não é mesmo!” Porquê? Porque essa pessoa já tomou a decisão de não ir ao restaurante e programou o seu cérebro com a ordem “não é para mim” e isso será verdade. Se dissesse: “hoje não vou, mas irei em breve”, isso seria uma ordem também. Jesus Cristo dizia: “continuem a ser como crianças” porque as crianças não veem obstáculos, só veem possibilidades, querem conquistar tudo e vão fazê-lo.  É preferível ser assim em vez de dizer sempre “é impossível”, “nestas circunstâncias não vai dar”. Então faz o seguinte: aceita as opiniões somente das pessoas credíveis. E quem são elas? São as que têm os resultados que tu pretendes. Elas é que podem opinar com segurança e dar-te realmente uma ideia acertada. Se tu ganhas 10 e essa pessoa ganha 20, anota as suas opiniões em relação aos ganhos, mas quando tu ganhares 25 essa pessoa já não te pode dar as melhores opiniões, tens de encontrar quem ganhe 50 e aprender com ela, certo? Essa pessoa terá opiniões acertadas na área económica, certo? Mas pode não ser a melhor pessoa para dar opiniões acerca da roupa correcta a vestir. É que há ricos que se vestem muito mal. Se queres ser um atleta olímpico, observa quem ganhou as medalhas e aprende com ele. Não quer dizer que estas pessoas não tenham hábitos totalmente errados noutras areas da vida, por isso todos temos de ser humildes para aprender algo com toda a gente. Por exemplo: é um óptimo atleta mas está pobre. Aprende com ele tudo o que tenha que ver com a parte do atletismo, mas não o que tenha a ver com dinheiro. O outro pode ser rico mas está gordo. Acham que há ricos gordos? Aprendes com eles o quê? Como engordar ou como ficar rico? Tu é que escolhes. Ou achas que ele estar gordo tem algo a ver com o estar rico? Provavelmente não, mas significa que podes aprender a ficar rico com ele e a estar em forma com o atleta. Certo? E depois até podes ensinar o atleta a ficar rico e o rico a ficar atleta... é assim que funciona. Aceita a opinião de alguém, de acordo com as suas conquistas nas áreas em que essa pessoa conquistou algo. Para as outras áreas tens de procurar outras pessoas.


Rui Gabriel

_______________________________

www.omeunegocio.com/candidatura

Sem comentários: